Apenas 11% das micro e pequenas empresas regularizaram situação na Receita

Enquete

Indicadores Econômicos

Moedas - 21/11/2017 16:14:28
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,248
  • 3,250
  • Paralelo
  • 3,190
  • 3,410
  • Turismo
  • 3,120
  • 3,380
  • Euro
  • 3,815
  • 3,817
  • Iene
  • 0,029
  • 0,029
  • Franco
  • 3,288
  • 3,290
  • Libra
  • 4,318
  • 4,321
  • Ouro
  • 134,350
  •  
Mensal - 09/10/2017
  • Índices
  • Ago
  • Set
  • Inpc/Ibge
  • -0,03
  • -0,02
  • Ipc/Fipe
  • 0,10
  • 0,02
  • Ipc/Fgv
  • 0,13
  • -0,02
  • Igp-m/Fgv
  • 0,10
  • 0,47
  • Igp-di/Fgv
  • 0,24
  • 0,62
  • Selic
  • 0,81
  • 0,64
  • Poupança
  • 0,56
  • 0,55
  • TJLP
  • 0,58
  • 0,58
  • TR
  • 0,05
  • -

Obrigações Tributárias

  • 23/novembro/2017
  • DCTF Mensal | Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais
  • IOF | Imposto sobre Operações Financeiras
  • IRRF | Imposto de Renda Retido na Fonte

Apenas 11% das micro e pequenas empresas que caíram na malha fina da Receita Federal regularizaram a situação junto ao órgão, de acordo com balanço divulgado ontem (13). No total, a Receita Federal identificou a existência  de  informações inexatas nas declarações de 100 mil empresas e, consequentemente, a redução indevida dos valores a pagar.

De acordo com a Receita, as  empresas que não se regularizarem estarão impossibilitadas de transmitir a declaração relativa ao mês de outubro, que deverá ser apresentada até o dia 20 de novembro, além de estarem sujeitas a  penalidades, como a imposição de multas que variam de 75 a 225% sobre os débitos omitidos nas declarações anteriores e até mesmo a exclusão do Simples Nacional.

Para se regularizar, a empresa deve retificar as declarações anteriores, gerar e pagar o documento de arrecadação (DAS) complementar. O próprio PGDAS-D, que é um aplicativo disponível no portal do Simples Nacional, aponta as declarações a serem retificadas.

Nos últimos anos, a Receita Federal vem trabalhando no combate a diversos tipos de fraudes detectadas nas informações prestadas pelas empresas por meio das declarações apresentadas ao órgão.

Segundo a Receita, as quase 100 mil empresas, sem amparo legal, assinalaram no PGDAS-D campos como “imunidade”, “isenção/redução-cesta básica” ou ainda “lançamento de ofício”. Essa marcação acaba por reduzir indevidamente o valor dos tributos a serem pagos.

Fonte: Fenacon.org.br

Site desenvolvido pela TBrWeb
Este site atende aos padrões exigidos pela W3C
(Validar XHTML / Validar CSS)
Multipla Contabilidade e Consultoria
Rua Floriano Peixoto, 1725 - Bairro Alto - Piracicaba SP - CEP 13419 170
Fone 19. 3447 4999  |  contato@contabilmultipla.com.br